Marcas próprias ameaçam gigantes da indústria

Marcas próprias ameaçam gigantes da indústria

Segundo a Goldman Sachs, reproduzida pelo Brazil Journal, a situação das gigantes de alimentos processados está ruim – e vai piorar.

Isso porque, além da mudança de costume do consumidor que agora busca produtos mais saudáveis e naturais, as marcas próprias – private label – estão ganhando cada vez mais espaço.

As marcas próprias são criadas por varejistas para competir com as grandes marcas, mudando drasticamente a relação de forças entre varejo e indústria.

A Goldman Sachs redigiu um relatório de 78 páginas chamado “Brand Disruption’s Next Phase“, onde relata que os maiores afetados com a nova tendência são as empresas de CPG (consumer packaged goods), como Kraft Heinz, Campbell Soup e Tyson Foods.

Ainda segundo o relatório, a ascensão das marcas própria começou com o boom das marcas pequenas independentes, o que não ganhou força. E agora são as marcas próprias do varejo que ganham tração.

Essas marcas têm a vantagem de serem apoiadas por varejistas com estratégias definidas, uma quantidade enorme de dados e acesso direto aos consumidores. Segundo a Goldman, em 2020 as marcas próprias roubaram 4 bilhões de dólares das grandes marcas e hoje movimentam 137 bilhões de dólares por ano nos Estados Unidos.

E por que o sucesso? Um fator são os millennials, jovens consumidores que valorizam personalização e inovação, escolhendo marcas que investem em orgânicos e naturais, por exemplo. Outro fator são os investimentos feitos pelos próprio varejistas, que procuram fidelizar o cliente e gerar tráfego nas lojas.

A dinâmica macroeconômica também tem sua contribuição no sucesso do private label, visto que, historicamente, ele performa melhor em momentos de crise por ser mais barato. Agora, como a qualidade dos produtos de marcas próprias melhorou, espera-se que essa migração seja mais permanente.

Por aqui já vimos como o Grupo Pão de Açúcar, Target e Amazon estão seguindo essa tendência. O que acham?

Fonte: https://www.foodventures.com.br/post/marcas-pr%C3%B3prias-amea%C3%A7am-gigantes-da-ind%C3%BAstria

Previous Marca própria é um dos vencedores do contexto de pandemia
Next Grupo DIA lança 40 marcas próprias (feitas em Portugal) até ao fim de 2021

You might also like

Notícias

Bancos private label são tendência para empresas que buscam cortar custos e expandir produtos

Fonte: www.jornalcontabil.com.b – Rede Jornal Contabil  – Por Alex Silva   Por meio de plataformas customizáveis, companhias de outros setores vão começar a oferecer serviços bancários Na esteira da popularização dos bancos

Bancos, finanças e seguradoras

Pesquisa da Proteste revela que juros de cartões de loja podem chegar a 875%

Fonte: Extra – Economia Cada vez mais populares entre os consumidores, os cartões de lojas não são tão vantajosos como aparentam, segundo uma pesquisa feita pela associação Proteste. Entre 37

Destaques

ABMAPRO participa da 11ª Reunião do Fórum de Competitividade do Varejo, liderado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em Brasília

Neide Montesano, presidente da associação, passa a integrar uma das cadeiras do Fórum que conta com a representação das maiores entidades de varejo do Brasil     No último 28/09,

Alimentos

Supermercados optam por agricultor local para rastrear melhor orgânicos

Fonte: DCI – Por João Vicente Ribeiro Varejo de todos os portes monitora cada vez mais o trajeto dos alimentos e foca no desenvolvimento de marcas próprias de produtos livres de