Coco Bambu quer vender 20 mil cervejas mês

Afrânio Barreira, o sócio-majoritário da rede de restaurantes Coco Bambu, diz que a cerveja de marca própria desenvolvida com a Wäls (Ambev) já está em todas as 31 lojas  – “de Manaus a Porto Alegre”. Segundo ele, a previsão é vender 20 mil garrafas por mês. Custa R$ 17,00.

Não é a primeira experiência de Coco Bambu com bebidas de marca própria. Desde 2016, já vende nos restaurantes um vinho trazido de Portugal. Também serve espumantes produzidos pela gaúcha Casa Valduga.

A propósito do plano de abrir uma loja em San Diego, na Califórnia (EUA), Afrânio disse ao Blog estar em fase de conclusão de contratos. No dia 15 deste mês (sábado), o Blog informou o fechamento da unidade de Miami, aberta há cerca de um ano, mas da permanência do plano de abrir na outra cidade norte-americana.

Previous Com 10 dias de ofertas, Carrefour adere à moda dos produtos a R$ 1
Next Carrefour reduz marcas de fabricante em quatro lojas francesas

You might also like

Comércio varejista

Carrefour Brasil registra lucro de R$ 389 milhões e quer intensificar marcas próprias

O Carrefour Brasil registrou um lucro líquido consolidado atribuído aos acionistas controladores de R$ 389 milhões no segundo trimestre, um resultado 39,4% superior ao apurado no mesmo período do ano

Notícias

Carrefour Brasil amplia ações para diferenciar hipermercados dos concorrentes

Fonte: Estadão Conteúdo O Grupo Carrefour Brasil está implantando uma série de ações para diferenciar seus hipermercados dos concorrentes, informou nesta terça-feira, 10, a empresa. Entre elas está a maior

Notícias Internacionais

Lidl e Intermarché lideram prêmios Top Beleza

Fonte: Hipersuper O prémio Top Beleza distinguiu 23 produtos de marcas de distribuição e de fabricante das áreas de beleza, cosmética e bem-estar.A retalhista Lidl arrecadou 15 prémios, com a

Notícias ABMAPRO

Marca própria e o futuro do varejo

Fonte: Portal NoVarejo – Por: Jade Gonçalves Castilho A marca própria, caracterizada por produtos vendidos exclusivamente pela organização que detém seu controle, se tornou uma estratégia no varejo para grupos como Walmart, Pão de Açúcar e Carrefour.