A aposta frustada de Warren Buffett

No ano passado, empresa de Buffett, Berkshire Hathaway, perdeu US$ 2,7 bilhões com a Kraft Heinz; para ele, companhia pagou em “excesso” ao assumir dívida de gigante.

O megainvestidor usou a marca Kirkland, marca própria da rede Cotsco, para demonstrar como o setor está mudando. A Kirkland tem bem menos tempo de estrada – mas, mesmo assim, superou as vendas da gigante ao ter distribuição garantida.

Fonte: Estadão Conteúdo

O megainvestidor Warren Buffett afirmou que a sua empresa de investimento, a Berkshire Hathaway e a 3G Capital, fundo dos brasileiros fundadores da Ambev, pagaram caro demais em 2015, quando ajudaram a Heinz a comprar a Kraft para formar a Kraft Heinz.

“O interessante sobre a Kraft Heinz é que ela continua a ser um excelente negócio”, disse Buffet ao canal de TV americano CNBC.

No entanto, “o negócio não faz mais dinheiro porque você paga mais por ele”.

No ano passado, a Berkshire Hathaway perdeu US$ 2,7 bilhões com a Kraft Heinz. Ele afirmou que a empresa é “um negócio fabuloso”, mas admitiu que a Heinz pagou em excesso e assumiu uma dívida gigante.

“Nossa dívida de US$ 31 bilhões é maior do que projetamos inicialmente – e precisamos reduzi-la”, disse.

Segundo Buffett, a Kraft Heinz perdeu poder de barganha no varejo.

O megainvestidor usou a marca Kirkland, marca própria da rede Cotsco, para demonstrar como o setor está mudando. Enquanto muitas das marcas da Kraft Heinz existem desde o século 19, a Kirkland tem bem menos tempo de estrada – mas, mesmo assim, superou as vendas da gigante ao ter distribuição garantida.

Apesar de reclamar do prejuízo, Buffett defendeu a empresa de acusações de que viria investindo pouco dinheiro em suas marcas.

Ele disse ter visto muita inovação na companhia enquanto esteve no conselho de administração. Mas, segundo ele, a Kraft Heinz cometeu o erro de pensar que tinha mais poder de barganha com os varejistas do que na realidade possuía.

Apesar de as ações terem despencado nos últimos dias, o controlador da Berkshire Hathaway disse continuar satisfeito em ter 27% da empresa e ser parceiro da brasileira 3G Capital.

“Eu fico feliz por ser parceiro (do cofundador da 3G, Jorge Paulo Lemann). Ele é um ser humano incrível e muito esperto nos negócios”, disse Buffett, indicando que não deseja se desfazer de sua parcela na empresa: “Não é o nosso estilo.”

Previous Quando a indústria vira varejo: o caso das lavanderias Tide.
Next Incursão da Amazon em ração animal não intimida rival alemã

You might also like

Notícias

ABMAPRO participa da 11ª Reunião do Fórum de Competitividade do Varejo, liderado pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), em Brasília

Neide Montesano, presidente da associação, passa a integrar uma das cadeiras do Fórum que conta com a representação das maiores entidades de varejo do Brasil     No último 28/09,

Comércio varejista

Parceria entre Carrefour e Tesco vai pressionar fornecedores

Por Dominique Vidalon e James Davey PARIS/LONDRES, 4 Jul (Reuters) Um acordo entre a rede francesa de varejo Carrefour e a britânica Tesco para formação de uma parceria global de

Bancos, finanças e seguradoras

Pesquisa da Proteste revela que juros de cartões de loja podem chegar a 875%

Fonte: Extra – Economia Cada vez mais populares entre os consumidores, os cartões de lojas não são tão vantajosos como aparentam, segundo uma pesquisa feita pela associação Proteste. Entre 37

Notícias

A Revolução dos Bichos

Maior interação com animais de estimação durante a pandemia leva Petz a registrar alta de quase 50% no faturamento. Parte da rotina do empresário Sergio Zimerman, fundador e CEO da