Marca Própria de amenities do hotel Emiliano é lançada no varejo

Fonte: www.brazilbeautynews.com – Por Renata Martins

 

Vendida pela internet e lojas multimarcas desde o ano passado, a Santapele acaba de ganhar seu primeiro ponto proprio.

Em 2008, o empresário Carlos Alberto Filgueiras decidiu criar uma linha de cosméticos naturais exclusiva para seu luxuoso hotel em São Paulo, o Emiliano. Assim nasceu a Santapele. A marca fez tanto sucesso entre os hóspedes que, dez anos depois, ganhou vida própria e foi lançada no varejo.

Sempre houve procura por parte dos hóspedes. Recebíamos e-mail perguntando se não tínhamos venda eletrônica e solicitações de lojas querendo revender a marca. Foi um passo natural”, afirma Carolina Filgueiras, sócia proprietária da Santapele e umas herdeiras do Emiliano, que teve uma filial inaugurada no Rio de Janeiro em 2016.

Há 30 anos no mercado, a Realgem’s é maior fabricante de amenities no Brasil. Para o CEO Mauro Carvalho de Oliveira, produtos de marca própria valorizam o serviço do hotel. “Quando um hóspede encontra em seu apartamento artigos de marca própria, ele entende que aquela formulação foi pensada e escolhida entre tantas opções”, diz. “O mesmo não acontece com itens personalizados, que dão a ideia de um brinde comum, um produto mais simples que apenas ganha uma etiqueta com o nome do hotel”.

Atualmente 60% da produção da Realgem’s é voltada a marcas próprias e de luxo. Na primeira categoria, se encontra a linha Talentos do Brasil, com matérias-primas vindas de agricultura familiar e parte do valor das vendas destinada à comunidade de origem. Entre as opções de luxo, há coleção assinadas por Christian Lacroix e o estilista brasileiro Alexandre Herchcovitch. “Percebemos a evolução deste mercado a partir da mudança de comportamento dos próprios consumidores, cada vez mais exigentes e atentos às questões ambientais”, cita Oliveira.

Filgueiras concorda com a alta expectativa dos consumidores e vê aí uma diferença em trabalhar com cosméticos para hotelaria e para o público em geral. “Enquanto amenities são uma cortesia para o hóspede, com escolha determinada pela administração do hotel, no varejo, a compra é feita por clientes que esperam sempre produtos de alta qualidade”, afirma.

Contundo, a empresária garante que ampliar o negócio não impactou o dia-a-dia da Santapele. “Trouxemos a mesma experiência dos hóspedes para os cosméticos do varejo. Para os produtos já existentes dimensionamos uma volumetria maior e estamos lançando novos itens”.

Seus artigos para o cuidado da pele e cabelo, perfumaria e aromatização de ambientes começaram a ser comercializados pelo site da empresa e em algumas lojas multimarcas. O primeiro ponto próprio de vendas, um quiosque, acaba de ser inaugurado no Shopping Cidade Jardim, em São Paulo. “Nossa expectativa é dobrar a receita neste ano, com as vendas de varejo já representando 80% do faturamento”, anuncia Filgueiras.

Previous Mundo Verde Entra na Nissei - Store in Store de Saudáveis Vai para a Farmácia
Next Walgreens faz mudanças em marcas próprias para impulsionar vendas

You might also like

Notícias

Lidl lança três cervejas artesanais em parceria com a Praxis

O Lidl estabeleceu uma parceria com a Praxis – empresa familiar sediada em Coimbra e o mais antigo produtor de cerveja artesanal em Portugal – para lançar três variedades de

Comércio varejista

Maior rede de estética masculina do Brasil almeja 40 lojas em 2018

A Barbearia Vip cresceu mais de 500% nos últimos três anos A rede Barbearia Vip, a maior de estética masculina do Brasil, está com 26 lojas e almeja chegar a

Destaques

Marcas próprias deixam de ser opção só na crise e conquistam brasileiros

Fonte: DCI – Por Juliana Estigarribia   Gigantes do setor, como GPA e Carrefour, apostam em parcerias com a indústria para aumentar a oferta de produtos; empresas prometem até 500 novos lançamentos

Destaques

Grande supermercado holandês adota blockchain para tornar transparente a produção de suco de laranja

A Albert Heijn, a maior cadeia de supermercados da Holanda, revelou que está usando o blockchain para tornar a cadeia de produção de seu suco de laranja transparente, informou a