Marca Aldi já vale mais que a Tesco

Fonte: Grande Consumo

 

A batalha pela fidelidade dos consumidores entre os principais supermercados e discounters não será ganha através do preço, mas da criação de marcas significantes e diferenciadoras”.

 

O Aldi ultrapassou a Tesco na lista das 100 marcas de retalho mais valiosas, compilada pela WPP e pela Millward Brown. A insígnia de discount viu o valor da sua marca crescer 22%, para os 11,7 mil milhões de dólares, e assegurou o oitavo posto do ranking.

Também o Lidl beneficiou de um importante crescimento, cerca de 27%, para os seis mil milhões de dólares, e ocupa agora o 20.º lugar.

Em contrapartida, o valor da marca Tesco caiu 37%, para os 9,4 mil milhões de dólares, o que fez com que a insígnia britânica descesse para a 10.ª posição. Em queda esteve também o Carrefour, cerca de 12%, para os oito mil milhões de dólares, e a Whole Foods, concretamente 24%, para os sete mil milhões de dólares.

Segundo Alison Casey, diretora de clientes sénior para a área de retalho na Millward Brown, as insígnias de discount proporcionam uma melhor experiência aos clientes e comunicam claramente os seus valores. “Cumprir a promessa da marca é um componente chave do sucesso de todas as grandes marcas e está a ajudar os discounters a cimentar o envolvimento, confiança e lealdade dos consumidores. A publicidade televisiva do Lidl, em particular, conta uma história atraente de um modo significativo e relevante, desafiando as anteriores perceções face à insígnia e posicionando-a como um fornecedor de produtos de qualidade a baixos preços. A batalha pela fidelidade dos consumidores entre os principais supermercados e discounters não será ganha através do preço, mas da criação de marcas significantes e diferenciadoras”.

Previous O Carrefour estreou em França um novo site de e-commerce designado de Loop
Next Mundo Verde Entra na Nissei - Store in Store de Saudáveis Vai para a Farmácia

You might also like

Notícias

ABMAPRO apoia proposta de adoção de limite de gastos do governo

Em comum acordo com a FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), a ABMAPRO (Associação Brasileiras de Marcas Próprias e Terceirização) está apoiando à proposta de emenda constitucional

Comércio varejista

Como será o varejo em 2026?

Como você compra suas coisas atualmente? Você entra no seu carro e sai fazendo pedidos para um assiste virtual ou ainda “digita com os dedos” em seu smartphone para comprar

Comércio varejista

“Marca própria” no Brasil, deve crescer 15% até o fim de 2014

Fonte: DCI O avanço da inflação no País tem levado os consumidores a optarem por itens mais baratos, favorecendo a expansão da produção terceirizada. Com isso, as indústrias que fabricam produtos

Notícias Internacionais

Marca japonesa Miniso comercializará produtos na Amazon Índia

Fonte: Imprensa Mercado & Consumo A varejista Miniso e a Amazon firmaram um acordo na Índia. A empresa de comércio eletrônico começou a vender neste final de semana os produtos