Carrefour quer duplicar participação de orgânicos nas vendas até 2020

Fonte: Estadão Conteúdo

O Carrefour Brasil lançou nesta segunda-feira, 1, um programa para fomentar as vendas de produtos saudáveis, incluindo itens de produção regional e orgânicos. A companhia estabeleceu uma meta de duplicar a participação de produtos orgânicos nas vendas de itens frescos até 2020.

Segundo Prioux, na média brasileira os orgânicos representam em torno de 0,6% do total. Além da meta de dobrar a participação até 2020, ele afirmou acreditar que seria possível atingir fatia de 5% “rapidamente”.

Prioux afirmou que o movimento acompanha um crescimento do interesse de consumidores por produtos saudáveis. Para ele, essa é uma oportunidade de “vender mais” e que é papel de uma grande rede como o Carrefour estimular o desenvolvimento de produtores e fornecedores desse tipo de produto.

O movimento Act for Food acontece simultaneamente em todos os países onde o Carrefour atua. No Brasil, Prioux afirmou que haverá investimentos em mudanças no visual das lojas e em logística, para ajudar o transporte de produtos enviados por pequenos fornecedores ou produtores de Estados distantes das lojas do grupo.

Até o final do ano, o Carrefour deve implementar em 50 de suas lojas corredores específicos para abrigar produtos saudaveis. No ano que vem, a expectativa é chegar à totalidade da base de lojas.

O presidente do Carrefour Brasil afirmou ainda que a companhia espera que esses produtos saudáveis tenham preços acessíveis. O objetivo é permitir uma redução na diferença de preço que há hoje entre produtos orgânicos e não-orgânicos.

Um dos focos no programa é o desenvolvimento de produtores locais para produtos de marca propria do Carrefour. As margens de itens frescos, orgânicos e marca própria tipicamente são maiores que de outros alimentos no varejo de supermercados, mas Prioux considerou que esse não é o propósito, até porque a iniciativa tem custos relacionados a transporte. Para ele, a relevância está na oportunidade de vender mais.

Cenário econômico

O presidente do Carrefour comentou ainda sobre o cenário econômico brasileiro. Ele considerou que o ambiente de incerteza tem um impacto nas decisões do consumidor, que deixa de estar disposto a gastar. “Ele fica esperando um pouco para ver qual será a situação econômica”, disse.

Do ponto de vista de decisões de investimento do grupo, Prioux afirmou que a empresa tem confiança no Brasil. Ele ponderou que a discussão política tem impactado o câmbio, mas considerou que o ritmo de crescimento no País nunca foi “uma linha reta” e que tem altos e baixos.

Previous Bahia é mais um clube a apostar em marca própria no Brasil
Next 16.10 - Congresso de Marcas Próprias Abmapro 2018

You might also like

Comércio varejista

Como será o varejo em 2026?

Como você compra suas coisas atualmente? Você entra no seu carro e sai fazendo pedidos para um assiste virtual ou ainda “digita com os dedos” em seu smartphone para comprar

Notícias Internacionais

Lidl deixa de ter sacos de plástico para transporte de compras

Além do fim do plástico, o Lidl afirma que “até ao final de 2020, as embalagens de todos os artigos de marca própria, que representam cerca de 70% dos seus

Notícias

“Uma loja por semana”: o plano da agressiva e popular Miniso para o Brasil

Fonte: Exame – Por Mariana Fonseca A rede de fast fashion com design japonês (mas de origem chinesa) irá expandir bastante pelo país, com a ajuda do franqueamento São Paulo

Notícias Internacionais

Aldi chega à China

Fonte: Grande Consumo O Aldi vai abrir esta sexta-feira, dia 7 de junho, as suas duas primeiras lojas na China. Os dois pontos de venda, localizados em Xangai, irão marcar