Bahia rescinde com a Umbro e terá marca própria em agosto

Bruno Queiroz, Ivan Dias Marques e Vitor Villar
redacao@correio24horas.com.br
26.03.2018, 20:21:00

Último uniforme será lançado em abril pela agora antiga fornecedora, em homenagem à Rússia
O Bahia vai de fato produzir o seu material esportivo, e a mudança será feita ainda em 2018. Em entrevista exclusiva ao CORREIO, o presidente do tricolor, Guilherme Bellintani, confirmou que vai deixar a Umbro e abrir marca própria, com data prevista de lançamento para agosto.

O nome da marca ainda está em discussão pela diretoria tricolor. A produção será feita pela Bomache, empresa cearense que já fornece o material do Paysandu e do Santa Cruz, clubes que optaram por lançar suas marcas próprias.

“Esta é uma decisão tomada. A Umbro foi muito parceira e fizemos esse acordo da rescisão do contrato. Vamos já nos próximos dias efetivar esse novo modelo que é de marca própria de uniformes”, disse Bellintani.

O concurso para que a torcida desenhe o modelo da futura camisa já é um passo para a mudança: “A Umbro lançará em abril o uniforme da Copa do Mundo (em homenagem à Rússia). Só ele e encerra o ciclo. A partir do segundo semestre, em agosto, teremos a marca própria”.

Bellintani disse que optou pela marca própria para arrecadar mais: “Se fosse um projeto razoavelmente vantajoso, não seria suficiente. Teria que ser muito vantajoso economicamente. E nas nossas contas, vamos multiplicar de três a quatro vezes os royalties (parcela da venda)”.

Para os lojistas e torcedores que desconfiam, Bellintani garante que a Bomache vai dar conta da demanda: “Hoje temos problemas de abastecimento com a Umbro. A Bomache terá talvez o Bahia como clube de maior produção. Conversei muito com Constantino (Júnior), presidente do Santa Cruz, e ele é muito satisfeito”, completou.

Previous Inovação é a arma do varejo para conquistar consumidores
Next Drogarias Pacheco e Drogaria São Paulo lançam marca própria

You might also like

Alimentos

Orgânicos devem faturar 20% mais este ano

Fonte: IsteÉ O faturamento do setor de alimentos orgânicos alcançou R$ 3,5 bilhões em 2017 no mercado interno e mais US$ 210 milhões em exportações, números 20% superiores aos do

ABMAPRO na mídia

“Marca própria” no Brasil, deve crescer 15% até o fim de 2014

Fonte: DCI O avanço da inflação no País tem levado os consumidores a optarem por itens mais baratos, favorecendo a expansão da produção terceirizada. Com isso, as indústrias que fabricam produtos

Notícias

Produto de marca própria é excelente opção para o final do ano

Os produtos de marca própria estão se tornando cada vez mais presentes em carrinhos e gôndolas de supermercados. E nesse final de ano vira uma excelente opção para quem quer

Destaques

LIVE | O que queremos para as Marcas Próprias no Pós COVID-19

Não Percam! Terça-feira – 26/05 às 17h – Live com Neide Montesano, Marcelo Maia e Luciana Tortorelli Mioto! Com muita satisfação convidamos a primeira live de uma sequência que faremos para tratar de um