Auchan, Casino, Metro e Schiever criam central de compras interncaional

Fonte: HiperSuper – Por Filipe Pacheco

O Auchan Retail, o Casino Group, o Metro e o Schiever Group anunciaram a criação de uma central de compras, em França e a nível internacional, denominada Horizon.

As negociações para a criação de uma central de compras entre o grupo Auchan e o Casino Group já tinham sido anunciadas em abril. As quatro companhias adiantam agora que concluíram nos últimos três meses uma série de acordos que prevê vários tipos de operações.

Através da Horizon International Services, a Auchan Retail, o Casino Group e o Metro oferecerão serviços internacionais aos principais fornecedores de marcas, tendo por base as suas localizações geográficas complementares e a presença em países com elevado potencial.

A nível internacional, a nova central de compras prestará apoio ao desenvolvimento das pequenas e médias empresas.

O Auchan Retail e o Casino Group poderão também lançar concursos para produtos de marca própria pouco diferenciados.

Previous Mundo Verde investirá mais em marca própria
Next 20.07 – Portas Abertas: Workshop de Liderança

You might also like

Madeira, móveis e papel

Com novo investidor, a Westwing, loja de moveis on-line vai investir em produtos para expandir

A Westwing, startup de venda de móveis e artigos de decoração pela internet, se prepara para uma expansão e transformação em seu modelo de negócio. O impulso vem de um

Notícias

Portas Abertas 12.06.19 – Especial Pós PLMA Amsterdam

Tradicionalmente, em maio, os grandes fornecedores e líderes do varejo mundial em marcas próprias se reunem em Amsterdã para a maior feira do segmento no mundo, a PLMA Trade Show. Nesta

Bebidas e fumo

Rede Vino! lança sua própria marca de espumantes

Fonte: Bem Paraná – Por Simone Meirelles Os espumantes Vino! já podem ser encontrados na loja da marca e custam R$ 54.   Notícia para quem curte bons vinhos, em

Destaques

Como a Amazon está vencendo o jogo do varejo online. De novo

Novas estratégias criam oportunidade para empresa dobrar receitas com marcas própria para US$ 25 bilhões nos próximos quatro anos, segundo analistas Por Julie Creswell, The New York Times Tudo começou