Walmart Brasil instala caixas de autoatendimento em unidade de Alphaville

Por Imprensa Mercado & Consumo

O Walmart Brasil deu início à instalação de caixas de autoatendimento em hipermercados e supermercados pelo país, como parte do projeto de reinvenção de lojas, cujo investimento total é da ordem de R$ 1,5 bilhão até 2020. Nos próximos três meses, até cinco unidades receberão 26 caixas de autoatendimento, com previsão de chegar a 100 terminais em operação por toda a rede até 2019.

A primeira unidade a receber os equipamentos é a de Tamboré, em Alphaville (SP), onde seis caixas de autoatendimento foram instalados, com o objetivo de reduzir o tempo de fila para pagamento, aumentando a produtividade do espaço e oferecendo uma nova experiência de compra aos clientes. Depois de São Paulo, a marca pretende levar os caixas de autoatendimento para lojas de Curitiba, Porto Alegre, Recife e Salvador.

“O autoatendimento faz parte dos novos hábitos de consumo no varejo e, por isso, precisamos cada vez mais oferecer formas diferentes de aumentar o poder de decisão dos consumidores sobre como preferem ser atendidos”, diz Bernardo Perloiro, vice-presidente de Operações, Comercial e Marketing do Walmart Brasil.

Nesta fase piloto, os consumidores que entram na loja no Tamboré estão sendo convidados a utilizar as máquinas em comunicados feitos por mensagem via SMS, enviada por tecnologia de geolocalização e de forma presencial com promotores, que também estão esclarecendo dúvidas e auxiliando os clientes nos processos de compra.

O self-checkout é configurado nos idiomas português, inglês e espanhol e é composto por três divisões: base de apoio para produtos, leitor de código de barras com tela de informações e área de empacotamento de mercadorias. As áreas dos caixas rápidos de autoatendimento também contam com a assistência de um funcionário para ajudar em situações de erros ou dúvidas.

O primeiro passo é recolher os itens do carrinho e da base de apoio para produtos, registrá-los através do scanner um de cada vez e, em seguida, colocá-los na área de empacotamento, a qual já conta com sacolas para transporte. Após a leitura do primeiro produto, os clientes podem optar por incluir ou não o CPF no cupom fiscal. Para frutas e verduras, o cliente seleciona na tela o nome do produto que está sendo comprado e o pesa na balança, localizada na parte central do equipamento. No caso de registro de itens restritos, como bebidas alcoólicas e cigarro, a luz amarela é acesa e a autorização da compra é feita somente após entrega de documento que comprove a idade mínima de 18 anos ao supervisor.

Ao finalizar o registro de todos os produtos, os consumidores passam para o momento do pagamento, escolhendo na tela se irão pagar a compra por meio de cartões de débito, crédito,  vale-alimentação ou cartão presente, não sendo disponível o pagamento em dinheiro. Ao finalizar a transação, é emitido o cupom fiscal, no qual é impresso um QR Code para que o cliente apresente na saída da área de autoatendimento.

Os terminais contam com sinalização luminosa na parte superior, nas cores verde (liberado), amarelo (atenção) e vermelho (interrompido), que indicam aos clientes e ao supervisor se todo o processo de compra está ocorrendo normalmente ou se requer algum tipo de ajuda.

Previous Carrefour é premiado por monitorar o uso correto de defensivos agrícolas em alimentos que comercializa
Next Marca Própria bem trabalhada gera resultados em vendas

You might also like

Notícias

Edital de convocação – Assembleia Geral das Eleições da ABMAPRO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO DA ASSEMBLEIA GERAL DAS ELEIÇÕES PARA DIRETORIA EXECUTIVA E DO CONSELHO FISCAL – QUATRIÊNIO DE 2017/2020 São Paulo 03 de Novembro de 2016. A Associação Brasileira de

Comércio varejista

Vendas de cosméticos no canal farma crescem 7% em 2017 e consolidam tendência do setor

Fonte: Brazil Beauty News – Por Daniela Belli Segundo a Abrafarma, itens de higiene pessoal e cosméticos contabilizaram R$ 14,17 bilhões em 2017 e já representam 32% do volume total

ABMAPRO na mídia

“Marca própria” no Brasil, deve crescer 15% até o fim de 2014

Fonte: DCI O avanço da inflação no País tem levado os consumidores a optarem por itens mais baratos, favorecendo a expansão da produção terceirizada. Com isso, as indústrias que fabricam produtos

Notícias

Amazon deve lançar marcas próprias para venda de produtos alimentícios

Varejista online já vendia alimentos de outras companhias, porém é a primeira vez que cria marcas exclusivas para vendê-las no próprio e-commerce