Pesquisa da Proteste revela que juros de cartões de loja podem chegar a 875%

Fonte: Extra – Economia

Cada vez mais populares entre os consumidores, os cartões de lojas não são tão vantajosos como aparentam, segundo uma pesquisa feita pela associação Proteste. Entre 37 opções avaliadas, os maiores juros encontrados foram os das redes Riachuelo e Sonda, em 875,25% ao ano — um dos motivos de crítica da entidade, que defende a intervenção do poder legislativo na questão, definindo um máximo para este tipo de crédito.

De acordo com a Proteste, muitas marcas não cumprem com seus anúncios de cartões. A anuidade dos cartões foi um fator analisado pela Proteste e, embora a maioria prometa não fazer esta cobrança aos consumidores, em análises mais profundas é possível constatar que a taxa é cobrada conforme o uso do cartão — por exemplo, quando há uma isenção de unidade nos primeiros meses e depois o valor é alterado de acordo com o gasto efetuado nas faturas. Os únicos cartões avaliados que realmente não possuem anuidade são os da Riachuelo e Renner, no caso dos cartões que só permitem comprar na própria loja, e os co-branded (quando o cartão é emitido por uma instituição financeira em parceria com um estabelecimento comercial) Petrobras e Saraiva.

Para diminuir os custos de ter um cartão de loja, a dica é entender como cada um funciona e aproveitar as partes boas. Nos cartões clientes, por exemplo, são os descontos e alertas para promoções específicas. É recomendável ainda evitar pagar anuidades ou assegurar que o uso compensa o custo, além de evitar a todo custo utilizar o crédito desses cartões, especialmente os mais caros.

Confira abaixo os tipos de cartões

Private Label – Cartões de marca própria que servem para comprar na loja que os fornecem. São atraentes pela “ausência” de custos, facilidade em adquiri-los e possibilidade de adiar o pagamento em até 40 dias, em média.

Híbrido – São cartões de marca própria que também têm a função crédito. Com ele, é possível comprar tanto na loja que o forneceu quanto nas redes que aceitam a sua bandeira (Visa e Mastercard), com limites diferenciados.

Co-branded – São cartões emitidos por uma instituição financeira em parceria com um estabelecimento comercial (postos, supermercados, etc.). O objetivo é fidelizar os clientes, oferecendo diversas vantagens.

Previous O elefante do Jumbo vai embora. Fica a Auchan e investe 90 milhões
Next Espírito Empreendedor: como Sidney Oliveira transformou uma pequena farmácia em uma grande rede

You might also like

Comércio varejista

Artigos do Lidl passam a ser confeccionados com ovos de solo

O Lidl Portugal já tinha abolido a comercialização de ovos provenientes de galinhas criadas em gaiolas. Agora, elimina também a utilização deste tipo de ovos na confecção dos seus produtos

Notícias

DMCard, de cartões private label, atinge marca de dois milhões de emissões

Fonte: http://economia.estadao.com.br/ A DMCard, administradora de cartões private label, atingiu em fevereiro dois milhões de plásticos de marca própria emitidos aos consumidores de seus parceiros – basicamente do varejo supermercadista

Alimentos

Supermercados optam por agricultor local para rastrear melhor orgânicos

Fonte: DCI – Por João Vicente Ribeiro Varejo de todos os portes monitora cada vez mais o trajeto dos alimentos e foca no desenvolvimento de marcas próprias de produtos livres de

Têxtil e couro

Bahia rescinde com a Umbro e terá marca própria em agosto

Bruno Queiroz, Ivan Dias Marques e Vitor Villar redacao@correio24horas.com.br 26.03.2018, 20:21:00 Último uniforme será lançado em abril pela agora antiga fornecedora, em homenagem à Rússia O Bahia vai de fato